01/03/2010

Um, dois, três e...já!


"Quanto tempo você tem?". Essa era a frase estampada num canteiro da Paulista. Primeiro tive ódio mortal do pichador, porque vandalizou a cidade. Depois, veio uma certa admiração pela pessoa que, embora tenha escolhido uma maneira equivocada para se expressar, deixou no ar uma frase que desde então não sai da minha cabeça.

Quanto tempo você tem? Pra aquela viagem anualmente adiada, pra conhecer o pai dos seus filhos, pra brincar com eles depois de nascidos... e os filhos deles? Será que você vai conhecer? Em um tempo em que tudo gira em torno de velocidade (é fast food, speedy date) relações que antes duravam uma estação, agora só se for a do metrô.

O verão de antes, agora não dura mais que meia dúzia de palavras que chegam em forma de torpedo: "Bora lá pra casa?". E o amor de verão vira amor de ocasião. Assim você ganhou mais tempo pra conhecer superficialmente a "torcida do flamengo". No melhor estilo "Pague um, leve todos". Lucky u. Agora corre! Você já gastou tempo demais lendo esse texto.

3 comentários:

Tânia Tiburzio disse...

Bom te ler! Gosto do jeito que você escreve, solto, leve.

Vitor disse...

Suas palavras prenderam-me, e eu tenho certeza que não perdi tempo!

Expressivas Impressões disse...

Tirei um tempinho mais que merecido para apreciar teus deliciosos textos. E como sempre o tempo voa quando a gente está se divertindo..